Prefeitura e Energisa firmam convênio para melhorar a iluminação no Centro de Muriaé

Minas Gerais - A Prefeitura de Muriaé e a Energisa assinaram um convênio nesta para melhorar a iluminação no Centro da cidade. De acordo com o Executivo, a expectativa é que em abril comece o trabalho de melhoria já com a definição das ruas que serão contempladas.
A empresa, que fornece a energia elétrica no município, irá modernizar o sistema de iluminação em várias ruas. O serviço será efetuado em 120 pontos, contemplando a substituição das atuais lâmpadas de vapor de sódio e mercúrio por unidades de LED, mais eficientes e econômicas.
Enquanto a empresa realiza a compra dos materiais, a prefeitura está realizando um estudo e análise dos endereços que poderão receber o serviço.
Economia
De acordo com a prefeitura, as melhorias serão custeadas pela Energisa, pois, conforme legislação, a empresa fornecedora deve destinar 0,5% de seu lucro anual em investimentos que promovam a eficiência energética.
"No fim de 2018, a companhia fez a publicação do edital de chamamento público, e Muriaé inscreveu seu projeto, que acabou obtendo a maior pontuação dentre os demais concorrentes", explica a gestora de convênios da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Relações Institucionais, Hadassa Oliveira.
Segundo a gestora, a potência das novas lâmpadas irá gerar uma economia de cerca de R$ 45 mil por ano. "Nossas unidades atuais são de 400w, enquanto as novas serão de 150w, o que por si só já deve gerar uma economia para o município. Além disso, elas farão a emissão de luz branca em vez de amarela, melhorando a iluminação das ruas", completa.
Fonte: G1

Calor leva ao maior consumo de energia em 5 anos.

As ondas de calor intensificaram o uso de aparelhos de ar-condicionado em todo o Brasil. O que fez com que o consumo de energia no país batesse dois recordes consecutivos.
Para muitos, a missão de economizar luz no verão ficar cada vez mais difícil. O que pode acarretar em um desequilíbrio do orçamento familiar, já que o início do ano é marcado pela cobrança de impostos como o IPTU e IPVA.
No dia 15 de janeiro, a demanda passou de 85 mil megawatts e logo em seguida, na quarta-feira, 16, atingiu 87 mil megawatts, superando a marca de 2014.
Sorte do consumidor é que a conta de luz está com bandeira tarifária verde, sem custos para os consumidores. Esse sistema foi instituído pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em 2015.
O objetivo é sinalizar ao consumidor o custo real da geração de energia elétrica. As cores das modalidades - verde, amarela ou vermelha - indicam se haverá ou não acréscimo no valor da energia a ser repassada ao consumidor final.
Ainda de acordo com a Aneel, o período de chuvas de novembro e dezembro de 2018 propiciou a elevação da produção de energia pelas usinas hidrelétricas e do nível dos reservatórios.
Portanto, a bandeira verde vista em janeiro continuará em vigor no próximo mês.
Calor será intenso em todo o verão
Calor, muito calor, e como economizar luz no verão? O ano começou quente em todo o Brasil. Temperaturas acima de 40°C foram registradas em várias cidades, com sensação térmica chegando aos 50°C!
A notícia ruim é que segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o calor será intenso em todo o verão.
A estação climática deve ter temperaturas que irão superar a média histórica no país.
Diversas podem ser as causas, de acordo com especialistas, variando de momento para momento e de região para região.
No entanto, no Brasil, elas podem estar associadas a fenômenos de variabilidade climática, como o El Niño.
A elevação da temperatura global aumentou a exposição de populações a ondas de calor extremo em todas as regiões.
Na meteorologia, um período prolongado de tempo com temperaturas excessivamente quentes caracteriza uma onda de calor.
Dá para usar o ar-condicionado e economizar?
O ar-condicionado, embora seja um alívio para os dias mais quentes, pode ser um verdadeiro vilão no consumo de energia.
Portanto, fique atento se o seu aparelho possui o Selo Procel de Economia de Energia.
Essa etiqueta garante que o modelo escolhido está entre os condicionadores de ar que apresentam os melhores níveis de eficiência energética. Logo, você conseguirá economizar luz no verão.
Lembre-se ainda de verificar se o aparelho é adequado para o seu ambiente. Caso ele não seja ideal para o tamanho do ambiente, pode ser mais interessante comprar mais uma unidade ou mesmo trocar de aparelho.
Fique de olho também na instalação. Ela pode fazer com que o consumo de energia de um ar-condicionado aumente. Portanto, ao decidir onde ele vai ficar, observe se a parte externa terá uma boa circulação de ar e ficará protegida dos raios solares diretos, sem que as grades sejam bloqueadas.
Outra opção para economizar luz no verão é manter uma temperatura moderada. Ela será bastante confortável e não vai gastar tanta energia assim.
Por fim, não custa nada lembrar que, para o ar-condicionado funcionar de forma eficiente, as portas e janelas do ambiente devem estar bem fechadas. Além disso, mantenha os filtros limpos.
Fonte: Finance One

Descargas Atmosféricas

Os raios atingem diretamente a rede elétrica ou suas proximidades, preferencialmente em lugares descampados e altos, causando o aumento da tensão. Essa sobretensão se propaga na rede até que haja um ponto com passagem para a terra.
Para a proteção das edificações, é necessária a utilização de para-raios de acordo com a norma ABNT NBR 5419. Um deles é o para-raios tipo haste (conhecido como para-raios Franklin) instalado no alto de edificações. Esse equipamento oferece proteção para a edificação (ou parte dela) contida sob o cone de proteção, cujo vértice encontra-se no topo da haste captora.
O método Franklin não se aplica a todos os tipos de edificações. Nesses casos devem ser utilizados outros métodos (eletrogeométrico, malha ou gaiola de Faraday), de acordo com a norma ABNT NBR 5419. No caso de edificações acima de 60 metros, aplica-se somente o método da gaiola de Faraday. Em quaisquer dos métodos utilizados, é necessário haver um aterramento adequado. Para-raios radioativos não proporcionam proteção adequada e sua utilização é proibida no Brasil.
Para antenas instaladas sobre as edificações, o suporte ou ponto de fixação da antena deve ser aterrado adequadamente. Quando a antena não estiver localizada sobre a edificação, são necessários cuidados especiais, tais como aterramentos adicionais e instalação de blindagem.
O bom funcionamento do para-raios e a adequada proteção contra sobretensão estão associados a um sistema de aterramento eficaz. O tipo de aterramento e o número de eletrodos de terra (hastes de aterramento) a serem utilizados para assegurar a eficácia do aterramento dependem das características do solo.
Proteção de redes de baixa tensão
Existem vários equipamentos para proteção de redes de baixa tensão. Os mais comuns são os para-raios de baixa tensão (varistores), supressores de surtos, que podem ser encontrados no comércio especializado.
Para o  funcionamento correto desses equipamentos, é necessário que eles sejam especificados adequadamente, que a rede elétrica seja bem aterrada e que o condutor neutro seja contínuo, bem dimensionado e com emendas bem feitas. O bom aterramento (hastes, malha de terra, condutores de descida) é de responsabilidade do proprietário do imóvel.
É imprescindível que a instalação tenha o condutor de proteção. A este condutor são conectados os terceiros pinos de todas as tomadas e ele por sua vez é conectado ao sistema de aterramento e ao BEP - Barramento de Equipotencialização Principal.
Vale ressaltar que o condutor neutro e o de proteção tem funções distintas na instalação.
Para equipamentos sensíveis como a televisão, existem outros tipos de proteção que são instalados nas tomadas. Esses dispositivos são conhecidos como protetores contra surtos de tensão. Computadores, secretárias eletrônicas ou mesmo televisores requerem proteção especial.
Para a atuação eficiente de qualquer dispositivo de proteção desses equipamentos, é necessário que o sistema de aterramento da instalação também seja eficiente. No caso de um aterramento mal feito, os dispositivos podem não funcionar perfeitamente, comprometendo assim a segurança da instalação e de seus usuários.