8 maneiras de reduzir sua conta de luz

Seus gastos mensais com luz podem ser reduzidos. E se o custo alto das lâmpadas frias, de baixo consumo, deixam você em dúvida sobre fazer essa mudança, lembre-se de que elas duram até 12 vezes mais do que as convencionais, então acabam saindo mais baratas a longo prazo.
1. Calcule e compare
Some o custo de gás, eletricidade e quaisquer outros combustíveis usados na sua casa nos últimos 12 meses. Em seguida, divida o total encontrado pelo número de metros quadrados que ela possui. Se você pedir aos amigos e vizinhos que façam o mesmo cálculo, poderá comparar resultados e descobrir quem tem sido mais racional no uso de energia. Você também poderá achar útil discutir e compartilhar com eles ideias para reduzir o consumo de combustíveis.
2. Atualize o boiler
Uma forma de diminuir a conta de luz é comprar um moderno boiler solar. O aparelho é formado por um conjunto de placas coletoras que absorvem a energia solar e um reservatório térmico, que mantém a água aquecida. Embora ele custe em média 40% a mais do que outros boilers, a economia resultante da eficiência energética deverá ressarcir o investimento em até três anos. A economia chega a 70% no fim do mês (contando somente a energia gasta no banho!).
Além de economizar na conta, você utilizará uma fonte de energia renovável, contribuindo para o não aquecimento do planeta. Assim, quanto mais rápido você fizer o seu upgrade, mais rapidamente passará a economizar e a ter eficiência energética em sua casa.
3. Escolha eletrodomésticos eficientes
Quando for substituir um eletrodoméstico, como a geladeira, o freezer, a televisão ou o ar-condicionado, dê preferência aos que contêm um selo de indicação de eficiência energética (no Brasil, o selo do Programa Nacional de Conservação de Energia, o Procel). O selo tem o objetivo de orientar o consumidor na hora da compra, indicando os produtos que apresentam os melhores níveis de eficiência energética dentro de cada categoria, além de estimular a fabricação e a comercialização de produtos mais eficientes, contribuindo para o desenvolvimento tecnológico e a redução de impactos ambientais.
Quanto mais eficiente o produto, menos energia ele consumirá. Uma vez que você tiver comprado a sua nova máquina econômica, quanto custará fazê-la funcionar, também dependerá de como você a usa. Por exemplo: colocar a geladeira, sempre que possível, na temperatura baixa e nas regulagens econômicas também poderá ajudar a economizar energia.
4. Dê um basta no queima-queima de lâmpadas
É tão irritante quanto caro ter um abajur ou lustre que precisa de uma lâmpada nova a cada um ou dois meses. Os fabricantes de lâmpadas prefeririam que você não fizesse nada a respeito - a não ser continuar a comprar os seus produtos. Mas se você notar que as suas lâmpadas queimam muito antes da expectativa de duração estimada impressa na embalagem, é possível que você esteja com um problema.
Eis três considerações sobre queimas prematuras, além de algumas soluções rápidas:
Watts em excesso
Se você estiver usando uma lâmpada muito potente dentro de uma cúpula pequena e fechada, como um globo de vidro, por exemplo. O acúmulo de calor poderá ajudar a acabar com o filamento da lâmpada mais rapidamente. Assim, experimente usar no lugar uma lâmpada de baixa potência ou uma fluorescente compacta.
Trepidação
A vibração, assim como o calor, pode fazer um filamento se romper mais rápido do que deveria. Se o seu abajur ou lustre estiver próximo de uma porta que vive batendo, ou no teto debaixo de um pavimento onde crianças pequenas brincam, passe a usar uma lâmpada fluorescente compacta, que não tem um filamento tão frágil.
Selo Procel
O selo do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica garante vida útil média de 6 mil horas para as lâmpadas. Procure o Programa, caso perceba que uma marca foge desse parâmetro frequentemente. Na hora da compra, dê sempre preferência às lâmpadas fluorescentes com esse selo, pois elas consomem menos energia. Aliás, duram 10 vezes mais do que as incandescentes e têm um ano de garantia.
5. Coloque revestimento nos canos de água
Se você mora num lugar frio, os canos da sua casa devem ser protegidos por algum tipo de isolamento. Há os tipos com isolante térmico disponíveis em lojas de ferragens e que são fáceis de encaixar. Para a melhor proteção possível, procure um tipo de, no mínimo, 50 mm de espessura. Cubra válvulas de descarga e registros também, de maneira que não haja partes de metal expostas.
Pendure uma etiqueta bem colorida sobre a válvula de descarga coberta, para que você possa encontrá-la quando precisar. Cubra, também, as conexões com fita PVC e, sobretudo, certifique-se de que não ficou brecha alguma.
6. Modifique a cor
Uma simples mudança de cor na parede pode clarear ou escurecer um ambiente. As cores claras possibilitam um aproveitamento mais eficiente tanto da luz do dia quanto da iluminação das lâmpadas, já que refletem a luz incidente.
À noite, a ação das cores é ainda mais perceptível. Para tentar igualar a iluminação de um quarto com paredes escuras com a de um ambiente de paredes claras, será necessária a utilização de uma lâmpada mais potente. Portanto, evite as cores escuras e economize!
7. Poupe água e economize energia
Evite desperdícios de água e o acionamento constante de bombas elétricas. Solucione vazamentos, regule o tempo de atuação da válvula de descarga e feche a torneira durante o banho, ao se ensaboar, e ao escovar os dentes. Lembre-se de que cada vez que a caixa-d'água de sua casa ou prédio esvazia, a bomba liga automaticamente.
8. "Prenda" a energia
Fios desencapados, mal dimensionados, e emendas malfeitas desperdiçam energia e põem em risco a sua segurança. Evite a utilização de benjamim e elimine sobrecargas para evitar o aquecimento dos condutores.
Pronto. Com um pouco de esforço e disciplina, você conseguirá economizar seus gastos com energia.
Fonte: Seleções

Prédios verdes: mais sustentáveis e mais rentáveis

A questão da sustentabilidade já foi vista como entrave aos resultados financeiros positivos das corporações. Hoje, com a evolução do mercado, esse cenário vem mudando, assim como a mentalidade dos gestores. Para ajudar a cuidar do planeta e a valorizar o patrimônio, uma das iniciativas são as certificações prediais de cunho ambiental como os selos LEED e Aqua, que indicam as construções com custos menores de operação por consumirem menos recursos (os prédios verdes).
Geraldo Victor, gerente geral de Gestão Condominial da administradora Apsa, explica que a adaptação de um edifício a normas ambientais é um investimento de longo prazo. "O investidor pode aplicar um pouco mais de capital no imóvel, mas sabe de antemão que ele economizará com diversos insumos futuramente, como água e energia, e terá um imóvel bem valorizado em caso de revenda", afirma.
No Brasil, a certificação mais adotada é a LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), avaliada pelo Green Building Council Brasil (GBC). Os selos Certificado, Silver, Gold e Platinum, que variam de acordo com a quantidade de pontos adquiridos, podem ser aplicados aos imóveis em todas as fases. A tipologia BD+C é utilizada nas novas construções ou àquelas que passam por grandes reformas. Mas, as edificações existentes também podem se adequar na tipologia O+M, criada a fim de evitar a demolição de prédios mais antigos.

Benefícios dos prédios verdes
Entre os benefícios econômicos, o GBC lista a diminuição dos custos operacionais e dos riscos regulatórios, além da valorização do imóvel e do aumento na velocidade de ocupação e retenção. A depender do nível de adequação e do tamanho do bem, o custo de implantação pode chegar a 7% do total. No entanto, a valorização para revenda alcança até 20%, ao passo que as despesas rotineiras caem 9%, em média. Isso só é possível graças ao uso racional de recursos, principalmente água e energia, e à redução nas emissões dos gases de efeito estufa e dos impactos ambientais, responsáveis pelas mudanças climáticas.
A instalação de um sistema de controle de fluxo de água em torneiras, pias e sanitários, e a captação de água da chuva e o reuso do líquido, que podem reduzir em 50% o consumo de água potável, são algumas das medidas mais adotadas. No quesito energia, aproveitar ao máximo a luz natural é sempre um norte, além de instalar lâmpadas de LED, ar-condicionado mais eficientes e sistemas de produção de energia solar ou eólica. Tudo isso pode fazer o consumo elétrico cair 30%. Há ainda o selo Procel Edifica, da Eletrobrás Procel, que avalia a envoltória, a iluminação e o condicionamento de ar. Para atingir o objetivo de economia, podem ser instalados equipamentos de automação, sensores e válvulas.
No Brasil, há também o selo Aqua, da Fundação Vanzolini, vinculada à Universidade de São Paulo (USP). O referencial dessa certificação é a francesa Demarché HQE, e seus critérios se assemelham aos adotados pelo GBC no LEED. No caso de novas construções, a avaliação considera o pré-projeto e as etapas subsequentes. Já nos empreendimentos já construídos, as rotinas de gestão predial devem ser planejadas e monitoradas periodicamente. Também estão disponíveis no país os selos DGNB, da Associação Alemã de Construção Sustentável, e o britânico Breeam.

Qualidade de vida
Outra certificação que, de certa forma, complementa os selos focados no meio ambiente, é o Well, desenvolvido pelo International Well Building Institute (IWBI), que prioriza a qualidade de vida dos ocupantes do edifício. Seus resultados vão desde o aumento da produtividade e do engajamento dos trabalhadores, à redução do absenteísmo por motivos de saúde e familiares, além do presenteísmo - quando a atenção da pessoa se dispersa, "com a cabeça em outro lugar". O ambiente também contribui para a retenção de talentos e, consequentemente, diminuição da rotatividade de colaboradores. Para receber o selo são avaliadas questões como a qualidade do ar e da água, nutrição, iluminação, atividades físicas, conforto e bem estar mental.
Geraldo Victor ressalta que o fato de um condomínio ser sustentável pode ser determinante na hora de fechar o aluguel ou venda de escritórios. "O selo verde oferece a garantia de que a empresa interessada terá menos insumos a pagar, o que contribui para a sua própria competitividade", aponta. O gestor acrescenta que as despesas do condomínio também tendem a diminuir, reduzindo, consequentemente, o valor da taxa condominial. Ocupar um espaço ecologicamente correto pode ainda ser aproveitado do ponto de vista da marca, uma vez que a companhia pode agregar valor a ela.
Fonte: Mercado Imobiliário

CEMIG abre concurso para escolher a iluminação de Natal da Praça da Liberdade

A Cemig, em parceria com o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), abre, nesta quinta-feira, 12/07, a seleção pública de propostas para iluminação do Natal de Minas Gerais, que acontece, tradicionalmente, na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte. O tema obrigatório da decoração natalina será "Músicas de Minas", sendo avaliados, entre outros itens, a criatividade e a sustentabilidade da ideia, cuja execução ficará a cargo da Cemig.

Segundo a gerente de Comunicação Interna da Cemig, Nathalia Dornellas, o objetivo desta seleção pública é que a iluminação de Natal de Belo Horizonte alcance, além do espetáculo visual das luzes, a democratização do espaço público. "É uma oportunidade de valorizar o trabalho de artistas locais e envolver os cidadãos nos projetos da cidade. A nossa expectativa é receber projetos inovadores dentro da temática proposta", afirma.

Em sua proposta conceitual, o participante deverá alinhar o tema à decoração natalina e levar em conta como a iluminação se relaciona com o conjunto arquitetônico da Praça da Liberdade e com as apresentações culturais que acontecerão no Circuito Liberdade, no final do ano. Além disso, deve considerar a proteção e a promoção dos patrimônios histórico e artístico do estado, pensando, ainda, na importância turística e cultural do local.

As propostas serão avaliadas por uma comissão julgadora formada por sete membros, sendo três representantes da Cemig, um do Poder Executivo estadual, um do Poder Executivo municipal e dois da sociedade civil. O autor da proposta vencedora receberá o prêmio no valor de R$ 40 mil e sua ideia ficará exposta na Praça da Liberdade, durante o Natal de Minas Gerais.

As inscrições para a seleção pública se estendem até 10 de agosto próximo. Podem se inscrever pessoas físicas ou jurídicas ou um representante legal em caso de coletivos de artistas. O edital já está disponível no site da Cemig.

Revitalização

Desde julho deste ano, a Praça da Liberdade passa por uma grande revitalização, em uma parceria do Iepha-MG com a Prefeitura de Belo Horizonte e a Vale. As ações incluem a restauração de elementos artísticos, pisos e placas, a substituição do mobiliário, a requalificação dos jardins e a reformulação de todo o sistema de iluminação. A praça será entregue à população no final do ano totalmente renovada e será palco de um novo projeto de iluminação natalina, selecionado a partir do edital da Cemig.