Geração de energia solar cresce em casas e estabelecimentos comerciais

São Paulo - A porcentagem ainda é baixa. A eletricidade proveniente dos raios do sol representa apenas 0,8% de todo o mercado brasileiro. No entanto, esse cenário deve mudar em pouco tempo. A demanda por geração de energia solar vem crescendo em ritmo acelerado, principalmente para residências e estabelecimentos comerciais.
Em 2018, a produção de energia solar teve crescimento histórico, foram 252MW de potência instalada. Sendo que a tendência é esse número aumentar ainda mais: espera-se um crescimento de 44% em 2019, de acordo com a afirmação do presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Rodrigo Sauaia, em entrevista à Reuters.
Com o aumento da demanda em casas e nos estabelecimentos comerciais, grandes nomes do setor ganham um novo mercado. Para Elcio Vicentin, Diretor Comercial da Solen Energia, o mercado de energia solar fotovoltaica é promissor no Brasil e deve ter um largo crescimento nos próximos anos. Justamente devido a esse cenário, que a Solen Energia vem expandindo sua atuação e agora oferece kits de energia solar (painéis de energia fotovoltaica e todos os acessórios necessários para instalação), com a garantia e qualidade dos principais fabricantes mundiais.
"Enxergamos uma oportunidade de nos lançar no mercado do varejo. Temos o know how que adquirimos em grandes projetos e parceria com as os melhores distribuidoras fabricantes de painéis fotovoltaicas e inversores do mundo. Por isso, garantimos uma rápida entrega e qualidade", afirma Vicentin.
Para o consumidor instalar as soluções, no entanto, é necessário o auxílio de uma empresa de instalação. Vicentin explica que a Solen não pretende alçar voos nesse sentido: "Não faremos o papel da instaladora (integradora). Nosso objetivo é construir uma ampla rede de parceiros e fornecermos todo o material necessário para que atendam às regiões em que atuam. Vamos ser reconhecidos como grande distribuidor para estes integradores, sem perdermos nosso DNA de empresa de engenharia".
Incentivos e Conscientização
Países de todo o mundo têm criado incentivos para geração de energia solar em residências. No Brasil, não foi diferente. Existem ao menos sete incentivos governamentais para pessoas físicas produzirem energia limpa.
Um exemplo é o benefício oferecido pela Caixa Econômica Federal. Com a linha de crédito para construção do banco, é possível parcelar os equipamentos para instalação de energia solar em até 240 meses.
Outro incentivo é o ProGD, um programa do Ministério de Minas e Energia que visa a criação de linhas de crédito e formas de financiamento para instalação de energia limpa em residências, comércios e indústrias.
Os incentivos governamentais ajudaram a acelerar o crescimento da energia solar. No entanto, segundo Denise do Nascimento, gerente comercial da Solen Energia e ex-instaladora de painéis solares, existe um aumento na conscientização em relação à importância da sustentabilidade e ao papel da geração de energia limpa.
"As pessoas têm curiosidade sobre alternativas limpas e a expansão do mercado de energia solar está sendo natural", explica Denise.
Mas não só isso. Segundo Vicentin, o aumento das contas de energia elétrica também impulsionaram o interesse pela instalação de painéis solares em casas e estabelecimentos comerciais. "É possível economizar até 95% da conta de energia elétrica em uma residência", afirma.
Fonte: Agência Estado

Bandeira Tarifária para março segue na cor verde

Distrito Federal - A bandeira tarifária em março de 2019 será verde, sem custo para os consumidores. Apesar do período úmido de 2019 ter tido pouca ocorrência de chuvas em janeiro, o nível de produção da energia hidrelétrica no país ainda se mantém elevado, contribuindo para um nível do risco hidrológico (GSF) em patamar que garante a manutenção da bandeira verde, mesmo com PLDs (Preço de Liquidação das Diferenças) elevados nas regiões sudeste, centro-oeste e sul. O GSF e o PLD são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada.
Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.
Com as bandeiras, a conta de luz ficou mais transparente e o consumidor tem a melhor informação, para usar a energia elétrica de forma mais eficiente, sem desperdícios.
Fonte: Procel Info

Prefeitura e Energisa firmam convênio para melhorar a iluminação no Centro de Muriaé

Minas Gerais - A Prefeitura de Muriaé e a Energisa assinaram um convênio nesta para melhorar a iluminação no Centro da cidade. De acordo com o Executivo, a expectativa é que em abril comece o trabalho de melhoria já com a definição das ruas que serão contempladas.
A empresa, que fornece a energia elétrica no município, irá modernizar o sistema de iluminação em várias ruas. O serviço será efetuado em 120 pontos, contemplando a substituição das atuais lâmpadas de vapor de sódio e mercúrio por unidades de LED, mais eficientes e econômicas.
Enquanto a empresa realiza a compra dos materiais, a prefeitura está realizando um estudo e análise dos endereços que poderão receber o serviço.
Economia
De acordo com a prefeitura, as melhorias serão custeadas pela Energisa, pois, conforme legislação, a empresa fornecedora deve destinar 0,5% de seu lucro anual em investimentos que promovam a eficiência energética.
"No fim de 2018, a companhia fez a publicação do edital de chamamento público, e Muriaé inscreveu seu projeto, que acabou obtendo a maior pontuação dentre os demais concorrentes", explica a gestora de convênios da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Relações Institucionais, Hadassa Oliveira.
Segundo a gestora, a potência das novas lâmpadas irá gerar uma economia de cerca de R$ 45 mil por ano. "Nossas unidades atuais são de 400w, enquanto as novas serão de 150w, o que por si só já deve gerar uma economia para o município. Além disso, elas farão a emissão de luz branca em vez de amarela, melhorando a iluminação das ruas", completa.
Fonte: G1